A mãe q eu idealizei ser, a filha q eu idealizei ter…

Depois de 8 meses e alguns dias eu caí na real: eu nem de longe sou aquela mãe q eu idealizei ser na gravidez.
Eu me imaginava uma mãe desencanadona, q deixaria a filha pisar descalça no chão, q deixaria o cachorro lamber a boca da filha, q daria chocolate qdo a filha tivesse 3 meses de vida.
Eu me idealizei de outra forma, completamente diferente da mãe q eu me tornei na realidade.
Não sou uma mãe q sufoca, mas chego próximo à isso. Bem próximo!
Assim como ñ sou nem de longe aquela mãe q eu mesma me idealizei, Anna Laura tb nem de longe é a filha q eu idealizei na gravidez.
Isso ñ é ruim.
Eu imaginava outra criança. 
Imaginava uma criança dorminhoca, quietinha, calma.
E ela nasceu o oposto disso tudo.
Anna é uma espoleta, não pára quieta, dorme pouco, já está dando pequenos indícios de q será malcriada! rs…daquelas crianças q respondem, fazem birra etc e tal. O OPOSTO do q eu queria né! rs
Sempre critiquei crianças q se jogam no chão do shopping e fazem escândalo. Sempre achei aquilo feio, o fim,  a falta completa de uma mãe presente e linha dura. hahaha…faz me rir.
Sábado passei por um episódio bem parecido com tudo isso!
Estávamos no shopping e eu decidi tomar um Frozzen Yogurt (tomou já? Toma, vale a pena! rs). Compramos e eu comecei a miacabar no doce qdo Anna Laura começa a dar show pq tb queria. Ela conseguiu a façanha de se virar inteira no carrinho e berrar, berrar, berrar a ponto de todo mundo ao meu redor perceber a birra da pequena! Tudo isso pq ela queria comer tb e eu ñ dei!
Cansada, nervosa e triste, agachei e olhei no olho dela e falei FIRME. Dei bronca mesmo. Ela olhou pra mim, cuspiu (vão vendo!) e voltou a berrar alto! Daí GRITEI com ela. Pronto, passou aquele povo “faz certinho” e me olhou torto. Uma mulher até murmurou alguma coisa q eu não ouvi, graças a Deus! Senão…


Enfim.
Na gravidez a gente imagina e mais q isso, a gente idealiza um bebe né. E ele nasce o oposto. E a gente demora a aceitar, a assimilar isso.
Assim como eu me imaginei outro tipo de mãe. Demorei pra aceitar q eu sou o tipo mais chato de mãe: a superprotetora neurótica!!!!!!!


FODA!


Agora só me resta tentar amenizar isso. Tentar mudar, nem q um pouquinho né!


Beijos

10 Comentários

  1. Angel says:

    O negócio e ir amenizando mesmo amiga…e aos poucos ir mostrando a Anninha como devem ser as coisas, lógico que nunca estamos satisfeitas com o que somos…e nossos filhos tb não são perfeitos, mas paciência e amor são as palavras chave de toda mãe e isso eu sei que vc tem de sobra!!!

    BJS!

  2. Carol says:

    rsrsrs
    Than, somos clones nesse assunto!
    Eu sou idêntica!
    Me idealizei como vc, toda desencanada que iria deixar a filha dormir na casa da avó com dias de vida.. hahahah
    Eu sufoco a Lulu, sei disso, mas quero mudar. kkkkkkk
    e tbm idealizei uma filha quietinha… cadê meu Deus, cadê?
    To só esperando a hora que Anna Luisa vai se jogar no chão de qqr lugar público fazendo birra, sei que vai acontecer.
    Isso comprova que não adianta né, cada um é cada um… e não é a gente quem manda.. rs
    Tamo junto mais uma vez!
    Beijo nas duas :)

  3. Poly says:

    hahahaha.. li no coisas e vim comentar aqui..
    Than, desencana amiga eu não sou a profissional que idealizei ser na faculdade, não sou a esposa que idealizei ser quando noiva e com certeza não serei a mãe que idealizo hoje ser…kkkkkk
    Mais do que normal, afinal somos seres humanos cheios de defeitos (de fabricação…kkkk) e o negócio é ser o que é não o que sonhou ou o que os outros querem que seja!!
    Bjs querida!

  4. Andrea Fregnani says:

    Interessante seu post, me fez lembrar das minhas idealizações, sabe que eu imaginava uma menina mulequinha e sem parada igualzinha a Alice veio? E até agora ando seguindo as coisas que me propus fazer com ela, sou super cuidadosa, mas desencanada que até outras mães dizem que não apreço mãe de primeira viagem hihihi
    Qnt as birras, são normais, são necessárias, são saudáveis (ATÉ 4 ANOS) nesse tempo a gente finge que nem vê as pessoas ao redor e segue adiante com a educação que decidimos dar para nossas pequenas ;)
    bjs

  5. Rebeca says:

    Clube das mães superprotetotas neuróticas: bem vinda amiga hahaha
    Eu te falei no e-mail aquele dia né? Me dá até raiva… Eu sou em aspectos diferentes, mas sou tb. Rafa começou a engatinhar agora com quase 9 meses, pq? Pq eu tinha medo dele quebrar o nariz (hã? kkkk).
    Com o tempo a gente aprende a soltar a cria e dar asas pra eles voarem (pelo menos assim espero!).

    Beijo

  6. Rebeca says:

    Ah, e sobre o negócio de não ter o filho que esperava, coincidência! Falei sobre isso no post de hoje. Eu nem preciso falar que o meu filho idealizado não tinha fenda e dormia a noite inteira aos seis meses né? Só resta aceitar, pq eles são o que são, com seus defeitos e qualidades. Parece fácil, mas não é. Eu mesma estou tentando aceitar isso agora, e encerrar o assunto…

    Beijos

  7. says:

    Amigaaaaaa,
    Afff que somos mamães desesperadas!!! Eu tb pensava que seria mais certinha, mais racional, e hoje sou só coração… faço tudo para ver um sorriso…rs
    Fora que imaginava que meu filho não chuparia chupeta, não tomaria mamadeira e muito menos dormiria na minha cama… paguei a lingua!!!
    Beijos!!!

  8. Lu do Deninho says:

    Poxa Than, vc ta estressada e precisa se cuidar…mesmo com todo amor que temos pelos filhos precisamos nos cuidar e pensar um pouco em nós tb.
    Isso faz bem para vc e consequentemente para ela tb.
    Estou aqui rezando por vcs, é o que posso fazer, alem de me colocar a disposição caso queira conversar !

    bjusss meu e da Julia.

Deixe uma resposta