Anna Laura, minha inspiração…rs

Daí q eu sempre, desde q a Anna era um cuspe de gente, me peguei pensando nas coisas q ainda iam acontecer.
Hj, lendo o blog da Val acabei fazendo em um comentário quase q uma auto análise de mim mesma. Profundo eu diria hã?
Daí, como sempre acontece, eu decidi relatar essa mini auto análise no blog!

Anna sempre foi um bebê calmo.
Eu é q não era. Nunca fui. Desde a gravidez, eu me tornei o ser mais ansioso e pessimista da fase da terra.
Qdo a Anna nasceu, eu juro q eu esperava outra coisa. Natural q fosse assim, só q não. 
Vejam bem, eu sempre fui pessimista na vida. Sempre acreditei piamente q as coisas não dariam certo em nada, pra q se realmente não dessem, eu estaria preparada pra isso. Bobeira eu sei, mas acabou q sempre deu certo comigo.
E isso aconteceu a gravidez toda, exceto qdo eu achei e acreditei mesmo q seria mega fácil cuidar sozinha de um bebê.
Eu juro q eu achava q tiraria de letra, e óbvio, não foi isso q aconteceu.
Daí, eu,assustada e otimista frustrada, sempre achei q a Anna era o bebê mais trabalhoso do mundo. Mentira. Quem sempre deu trabalho nessa maratona gravidez/bebe em casa fui eu!
Sempre eu q dei defeito.
Eu q acreditava q a Anna dormiria 12 horas noturnas e mais as sonecas de 4 horas diárias por dia. E isso nunca aconteceu e eu sempre botei a culpa em quem? Na coitada…pq né, essa sou eu!
Eu q sempre vinha aqui no blog reclamar das noites em claro como se isso fosse a coisa mais anormal do mundo materno e eu a mais vítima das vítimas de todas!
Eu q sempre dei defeito. Anna sempre foi um bebê mega fácil, q pouquíssimo teve cólicas arrebatadoras e choros compulsivos. Nunca vi esse episódio aqui em casa, q não fosse fácil de controlar.
Eu q sim, chorei por horas consecutivas de cansaço. Ela não!
Ela q poderia ter feito posts e posts sobre a mãe maluca q ela tem.

“hj minha mãe deu trabalho. Chorou tanto, horas, e eu não sabia o q ela tinha…”
rs
Daria um bom livro!

Com a Anna propriamente dito, isso nunca aconteceu.
Ok q a Anna nunca foi aquele bebê dorminhoco q eu idealizei, mas né, ela tb nunca foi a insone q eu vendi pra vcs. Eu é q era a morta de sono, zumbizona q necessitava dormir 15 horas noturnas. Agora me digam: quem precisa dormir tanto minha gente? Pra que?
Hj eu me delicio com 9 horas de sono numa boa. Até acho muito pra um ser humano normal, afinal ursos hibernam, seres humanos não!
Dormir leva muito da vida.
Mas isso eu aprendi depois de dormir menos do q eu gostaria!
Hj eu sei q é normal dormir pouco qdo se é mãe.
E me conformei q eu nunca mais vou dormir como eu dormia qdo eu me casei.
Mas isso são escolhas e eu escolhi isso pra minha vida.
Ter filho.
E pra q isso acontecesse, eu teria q aprender a lidar com essas pequenices.

Daí outro dia, comecei a ler sobre os tais terribles-twos e descobri q a Anna ta nessa fase maluca aí.
Mas eu descobri por causa da idade em si, e não pelo comportamento.
Tô falando procês q a Anna é uma princesa de menina e eu a maluca mais insana do mundo!
Pois bem.
Anna ta no meio dessa guerra toda inventada por psicopedagogos e médicos da nossa era.
Qdo eu tinha dois anos isso nem se quer existia, mas enfim.
Anna tem um comportamento de uma criança de 2 anos.
Ela faz birra? Sim.
Mas será q isso faz parte desse terrible-twos?
Sei lá. E nem quero saber. Pq eu sei e aprendi com tudo isso q T U D O na vida é fase. E do jeito q começa, termina!
Claro q nesse meio tempo é foda.
As vezes eu piro, enlouqueço, dou com a cabeça na parede, mas sempre saio dessa mais forte e mais pronto pra próxima.
Pq o auge da vida é isso mesmo.
Cair e levantar!

Pq eu to falando sobre isso?
Nem sei.
Só sei q parar de sofrer por antecipação é meu desejo pro próximo ano!
Pq eu fico nessa, e esqueço das coisas bacanas q um bebê de 2 anos faz.
Fico me preocupando com o q vai acontecer e esqueço do q ta acontecendo de fato!
A maior merda q um ser humano pode fazer é isso.
Pq gente, o tempo passa  bem depressinha né!
E o q resta é a saudade e a nostalgia do q foi. Mas daí já foi!

Eu não vou falar sobre essa merda de terrible-twos aqui no blog pq sinceramente eu nem acredito muito nisso.
Acho q cada criança é uma e ponto final.
Se o filho do primo do cunhado do vizinho do meu tio passou por isso, isso não significa q a Anna passará!

Preciso parar com isso de comparar a Anna com todos os bebês do mundo todo!
Anna Laura foi o UNICO bebê q nasceu do meu útero. Os outros bebês, bem, eles não tem meu DNA portanto eu não posso responder por eles e tampouco posso exigir q a Anna durma/coma/aja/pense como eles.
Isso é uma coisa q eu tenho trabalhado bastante dentro de mim.
Oras, eu não fico comparando minha mãe, meu marido, meu chefe com os dos outros, pq merda eu tenho q comparar a minha filha?
Tem gente q até curte isso pra rolar aquela competiçãozinha sabem?
Mas eu nem isso acho saudável.
Sempre alguém fica por baixo, e isso não é legal.


Legal é cada mãe relatar a sua experiência e trocar ideias.
Mas sem comparação, sem “meu filho faz mais q o seu” e pronto.
Toda mãe se orgulha das coisas q o filho aprendeu. Toda mãe acha e acredita piamente q seu filho comer sozinho com as mãos é supra mega inteligente e nenhum outro bebê da idade dele faz isso. Faz sim. Nós mães é q fomos criadas e inventadas pra nos orgulhar muito dessas coisinhas “bobas” q acontecem. E eu me orgulho mesmo!
Toda mãe se orgulha pq assim somos nós. Babonas, bobonas, loucas apaixonadas por esse ser q colocamos no mundo!

Hj eu devaguei, me desculpem…rs
Mas sei lá, com o tempo comecei a perceber q eu q sempre fiz coisas absurdas e q a Anna, tadinha, sempre foi o bebê mais normal, com as crises mais normais, com a falta de sono e apetite mais normal de toooodo o mundo infantil!
Todo bebê passa pelas coisas q passamos por aqui.
Uns mais, outros menos, mas passam.
E tb tem a coisa toda de umas mães falarem mais sobre isso, outras menos, natural! Cada uma expõe seu filho como quer.
Eu confesso q exponho demais a Anna.
Em fotos e em fatos relatados.
Mas eu não me importo com isso. Não tenho medo, não acho errado o mundo saber q a Anna aos 3 meses, cagou verde. Por mim…sem problema!
Não travo fotos no face e nem aqui, não meço palavras pq eu sou assim!
Sem medo de ser quem eu sou!

Anna pra mim é a criança mais fantástica do mundo. A mais esperta, a mais inteligente, a mais bonita. PRA MIM.
Pro resto do mundo, ñ me interessa saber….

Só tenho uma coisa pra falar: EU FALO PRA KCT NÉ…rs

Mas se vc chegou até aqui, parabéns! rs

Um beijo no coração e obrigada por ler e pirar nesse post junto comigo! hahahaha



10 Comentários

  1. Thamara says:

    Que delicia de post….e que foto linda essa de vcs caminhando….
    Anna é tudo de bom mesmo, linda de viver…amo essa minha Pepela!
    Beijos

  2. Ana Paula says:

    Tô contigo! Cada bebê é um! Já falei isso no blog e é algo que eu levo comigo. Adorei seu post! As vezes a gente coloca a culpa nos outros, mas é gente que tá errada, né?! E admitir isso é muito legal, mostra evolução e amadurecimento de toda uma situação.
    Hoje foi um noite power lá em casa… Alice acordou à 1h40 e só foi voltar a dormir de fato umas 3h30… Sei lá se é dente ou agitação por estar aprendendo novas habilidades (a vida dela agora é ficar em pé e subir em tudo), a mim restar ter paciência (que é dificil manter quando se tem que acordar às 6h30 e enfrentar um dia de trabalho). Mas eu repito o mantra: é uma fase, e vai passar. Porque no fim passa mesmo!
    Bjs!

  3. Cláudia Leite says:

    Tb sou assim, pressimista. Acho melhor aguardar por algo ruim (assim fco preparada e não me sinto tão frustrada) que criar mt espectativas.

    E lá e casa, eu tb sempre fui a maluca, Bella é uma criança fácil de lidar, as próprias tias da escola disseram isso.

  4. Angel says:

    Então Than…

    Cada criança é única como vc disse..e cada uma no seu ritmo e no seu tempo.
    E tb concordo contigo no ponto de vista de que na verdade muitas vezes somos nós que complicamos as coisas…medo/insegurança/inexperiência…quem nunca passou por isso como primeiro filho…e mt natural que aconteça o mesmo com o segundo, afinal…repetindo…cada criança é unica, lógico que com o segundo filho a gente já tem uma base da coisa em sí, mas toda criança é uma caixinha de surpresas…E se a gente não se segura, pequenos eventos de chorinho ou sei lá o que viram a 3ª gerra mundia dentro da nossa casa!

    Bjs…

  5. Maitê says:

    Sinceramente, não sei o que dizer …

    A Giulia é um bebê relativamente calmo … quer dizer … nos últimos 3 dias estou com “dois” bebês em casa … Um durante o dia e outro durante a noite (kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk). E espero que isto passe logo, pq ando não sabendo o que fazer !!! Estou noite a bichinha mamou por TRÊS HORAS !!!! E quando eu tirei ela abriu o berreiro !!!! Aí coloquei ela para mamar de novo, deu 2 minutos ela dormiu … tirei … e … berreiro de novo … coloquei ela para mamar de novo, deu 2 minutos ela dormiu … tirei … e … berreiro de novo … e foi assim até quase 4 horas da manhã quando ela finalmente pegou no sono.
    Não sei o que fazer … tentei até a bendita chupeta, mas ela cuspiu !!!! Tentei duas … uma pequenininha e outra maior e nada.
    Agora o anjinho dorme e a pobre mãe está aqui ligada na tomada lavando as roupas da bonequinha e do marido (amanhã vem a bendita passadeira).

    E sei lá pq escrevi tudo isto !! kkkkkkkkkk …

    Beijinhos

  6. says:

    Vivaaaaaaaaa!!!
    Consegui comentar…rs
    Pois é amiga, a nossa realidade é que reclamamos demais de coisas maravilhosas que vivemos e só damos conta quando sentimos falta do que reclamamos um dia…afff!!!
    Eu confesso que sou uma reclamona de marca maior, mas amo tudo que reclamo…rsrsrsrs
    Sofro com o fato de ter sido derrotada no assunto de Dudu dormir no berço, mas te confesso que to amando ele na nossa cama…rsrsrs
    E por aí vai… reclamamos dos maridos mas não vivemos sem eles, reclamamos do calor mas adoramos o bronzeado, reclamamos da chuva mas é quando ela cai que usamos nossas botas novas… e assim é a vida…
    Mil beijos!

  7. Mãe de três says:

    Ai Than, amo seu blog e amo Anna do fundo do meu coração, queria eu ter mais tempo pra falar dos meus , porque quem não gosta de falar do pimpos né?? Bem eu adoro por isso tenho lá o meu canto, não é um diário mais me orgulho e um dia acho que eles tb vão se orgulhar de ver a mãe babona aqui. E vc tá certa não gosto de competições, até porque com 3 eu vejo que mesmo aqui cada um é cada um , imagine em casa diferentes, uma bjk no core, Cynthia

  8. Grauce says:

    Than, sinceramente, não acho que ser “pessimista” seja defeito. Sou assim como você, não me iludo com pessoas, não vivo apanhando por acreditar cegamente em alguém ou que algum fato vá durar pra todo sempre.

    Penso que quando a merda acontece, a gente meio que já tá preparada praquilo. O baque é menor e não entramos em depressão por causa disso.

    Mas concordo que a gente mãe tem a péssima mania de colocar a culpa nos filhos. Eles não tem culpa de nada, nós é que muita das vezes fazemos eles terem maus hábitos, ficarem mimados. Pixados eles como os piores dos piores do mundo, quando na realidade as coisas acontecem assim. 95% do que acontece de errado é culpa nossa, que não sabemos lidar com a situação e no nosso desespero, fazemos as escolhas erradas e acabamos quebrando a cara por conta disso.

    Nossa, agora foi minha vez! Eu falo pra kct! kkkk

Deixe uma resposta