A (difícil) escolha de abrir mão de ser profissional pra ser mãe!

(25/07/13)

Muita gente q lê meu blog sabe q eu trabalhei, 9 horas diariamente e mais 4 horas de sábado até a 37ª semana de gravidez da Anna.
Não era fácil, principalmente no final da gravidez. Aliás, acho que não foi fácil a gravidez toda.
Eu reclamava muito por aqui (pq na época não tinha facebook..rs), no finalzinho da gravidez, tinha dias q nem ia trabalhar!
Me cansava, chorava, inchava, sentia dores, azia, sono, preguiça.
Por volta da 30ª semana, decidi, juntamente com o total aval do meu marido, q assim q a licença maternidade terminasse, eu não queria voltar ao trabalho!
Queria me dedicar 100% à Anna, à casa, à ele (menos a mim!).
Ok. Minha cabeça já estava decidida a isso!
Entrei de licença com 37 semanas.
A Anna nasceu 15 dias depois.
Ou seja, eu tinha menos 15 dias de licença.
Fiquei em casa os 120 dias que tinha por direito e voltei.
Como sabia q não teria MESMO com quem deixar a Anna, a minha sogra, mudou toda a vida e a rotina dela, pra conseguir ficar com a Anna Laura esses 30 dias q eu teria q voltar de qlq jeito, pq pela lei CLT a mulher tem estabilidade no emprego por pelo menos 30 dias após o término da licença, ou seja, ela não pode ser demitida nesse meio tempo!
E foi o q eu fiz!
Fui trabalhar por 30 dias, sendo q eu saía meia hora antes do horário normal pra amamentar a Anna, como tb é previsto em lei.
Enfim.
A Anna acabou desmamando por conta disso, o resto muitas de vcs já sabem!
Os 30 dias se passaram, e eu pedi pra ser demitida.
Achei q meu ex patrão ia ser um cara bacana e não ia me forçar a abrir mão dos tais 40% da recisão, o q é uma graninha a mais, mas não! Ele até me demitiu, mas eu tive q abrir mão de mais de R$2.000,00!
Saí perdendo feio, mas beleza.

Passei 5 meses recebendo o seguro, curtindo a Anna, mas me esquecendo de mim!
Cada dia q passava eu me transformava mais em “mãe da Anna Laura” do q em Thania.

Não me arrependia, assim como não me arrependo ainda, de ter aberto mão de ter o meu dinheiro e a minha vida, pra cuidar e participar de momentos deliciosos com a Anna na idade q ela estava!
Assistir de camarote os primeiros TUDO da minha filha foi essencial pro meu próprio crescimento como mãe.
Mas foi estressante!
PQP como foi!
Tinha dias q eu queria fugir, proutro lugar baby…um lugar bem longe!
Queria correr, correr, correr e nem olhar pra trás!
Mas fomos levando. Como disse o privilégio de ver o crescimento dela de pertinho, valia a pena. Valia os dias.

Mas comecei a repensar.
A falta de grana pra botar em prática os meus sonhos, começou a pegar!
Marido sempre nos proveu muito bem, nunca nos faltou nada, muito pelo contrário, até os mais supérfluos, o marido nos supre.
Mas tem coisa q eu SEI q se eu tivesse renda ainda, ficaria mais fácil.
Ainda mais agora q a Anna fica na escola o dia todo.

Há uns meses atrás até comecei a procurar trabalho denovo.
Mas aí, engravidei.
Não foi sem querer, eu queria, mas enquanto não acontecia, eu tava tentando outro emprego, e se eu conseguisse, já tinha entrado nesse consenso com o marido, que brecaríamos os planos pro segundo filho e eu ia trabalhar por uns anos.
Mas fiquei grávida mais rápido do q eu imaginava então abortamos a ideia do emprego, mesmo pq não ia dar mesmo!

Só q hj isso pega. Pega muito em mim.
Eu não sei se me arrependo de ter saído daquele emprego em q estava há quase 4 anos qdo a Anna nasceu, apesar de saber q se eu não tivesse saído por espontânea vontade como foi, teriam saído comigo logo depois.
Mas as vezes eu começo a imaginar como seria se eu estivesse lá ainda.
Eu ganhava MUITO bem. De vdd. Abri mão de um bom salário pela maternidade.
Uma troca justa? Uma torca boa? Fui certa ao fazer isso?
Ainda não tenho respostas pra isso.

Ao mesmo tempo q tenho tempo pra Anna, não tenho $$$ pra dar a ela o conforto q ela merece.
Entendem a confusão q as coisas ficaram na minha cabeça?

E agora com o Bê, mais ainda.
Serão 2 q não terão o conforto q merecem, mas terão a atenção q merecem.
Q loucura isso!
Nunca imaginei q isso fosse se transformar num conflito tão grande dentro de mim!
Mas isso não é de hj, ou de ontem. Sinto esse conflito há tempos já!
Tentei voltar ao mercado de trabalho assim q comecei a pensar nisso.
A Anna já estava indo pra escola. Fui. Trabalhei 1 mês. Ganhava MAL PRA CACETE, o local era bagunçado, o trabalho era chato, sem rotina, sem organização.
Desisti.
Tb trabalhar dessa forma e ganhando quase NADA, obrigada! Ficava em casa.
E desde então, comecei a ver q não dava pra trabalhar com qlq coisa, em qlq lugar.
Ainda precisava de uma certa qualidade até pela Anna!
E então, não trabalhei mais.
Só em casa.
Como fotógrafa em algumas ocasiões.
Como tratadora de imagens ajudando o marido.
Fazendo livro.
Na lojinha virtual que temos (www.mpsexshop.com.br).
E seguimos assim. Sem nos faltar nada, muito menos tempo pra Anna e pra casa, mas faltando o MEU $$$, a minha renda q junto com a renda do marido, facilitaria eu buscar o q eu tanto sonho!

Mas enfim.
Escolhas são assim.
Toda escolha temos q abrir mão de outra coisa.
Natural.
Não dá pra se ter tudo!
Mas é difícil demais essa escolha!
Muito complicada!


Esse post é quase um desabafo.
É uma forma de dizer q sim, por um lado me arrependi demais de abrir mão de tudo isso, de trabalhar e ter $$ na minha conta bancária.
Mas tb não me arrependo por poder estar muito presente sempre na vida da Anna.

Entendem o conflito?
Foda.

E vcs?
Como foi com vcs?



Translate »

Receba nossas novidades no seu email!!!

Receba nossas novidades no seu email!!!

Se você gostaria de ser sempre informado sobre as nossas últimas novidades, basta preencher o formulário com seu nome e email.Obrigada pela sua visita!!!