Dois pesos, duas medidas

Prometi q ia falar sobre as minhas duas experiências de gravidez.

De gravidez, de cesárea, de ser mãe na prática.

Gravidez:
A gravidez da Anna foi tranquila. embora eu fosse a rainha da tensão e do medo, nenhuma intercorrência séria nos acometeu.
Sempre tive peso controlado, pressão arterial controlada, glicemia controlada.
Qdo me descobri grávida do Bê, no começo do ano, achei q seria mais ou menos as mesma coisa.
Mas com 7 semanas de gravidez, fui parar no PS com mau estar e ao medir a pressão, o GO nos alertou q a mesma estava alta demais.
16×10.
Mediu 1, 2, 3, 4 vezes. Ficamos lá em “repouso” pra ver se a bendita baixava mais de uma hora e nada.
Devo confessar q meu pânico começou ali.
Na minha primeira consulta pré natal oficial, ao medir a pressão, o meu GO mediu 13×8 e me disse q estava normal, mas q se eu estivesse preocupada com isso, pra então procurar um cardio.
Foi o q fiz na semana seguinte.
Assim q entrei no consultório, ele já mediu a pressão e ela bateu 16×11.
Mais uma vez aguardamos um tempo pra ver se em repouso ela abaixaria, mas nada. Sempre alta.
Foi receitado remédio pra pressão.
Ali meu mundo desabou.
Me lembro de ter chego na farmácia aos prantos, não me conformava com isso.
Comecei tomando uma dose baixa do medicamento, q ao longo da gestação foi aumentado e recalculado 4 vezes.
Minha pressão nunca deu picos altos, mas era meu fantasma maior.
Media a pressão TODO DIA, tomava remédio, me readaptei completamente na alimentação e na forma como salgava a comida.
Troquei alimentos, fiz sacrifícios, passei MUITA vontade, emagreci horrores.
Mas foi tudo válido.
A pressão nunca passou de 14×8 e na hora do parto, ela estava lindamente em 12×7.
Mas não foi fácil.
Pq pressão alta causa um monte de outros malefícios na gestação.
Além do perigo real de uma pré eclâmpsia, ou eclâmpsia em si, ainda pode trazer junto consigo diabetes gestacional.
Com 25 semanas, realizei a tal curva glicêmica, e graças a Deus, sem diabetes!
E sem nenhum outro tipo de problema q desencadeariam por causa da pressão!
Bendita hora em q dei de louca hipocondríaca, e procurei um cardiologista!
Por isso um alerta!
Pressão alta na gravidez NÃO É BRINCADEIRA.
Qlq coisa mais alta q 15×10 deve ser monitorado com muita cautela!

Cesárea:
Outra coisa q eu achei q seria mais ou menos igual.
A cirurgia da Anna foi ótima.
Não me lembro de sentir dores fortes, lembro q cheguei em casa com 3 dias de operada e ótima! Mal tomei analgésico pra dor.
Já dessa vez….
Curiosamente, momentos antes da cesárea eu tava zen. Tava tão tranquila, q nem eu acreditava!

Os procedimentos começaram, a enfermeira colocou acesso na veia, e eu ali, achando tudo aquilo o máximo. Sem medo, sem tensão e batendo papo com todos na sala. Essa era eu.
Assim q o anestesista chegou, me deu aquele medinho clássico, mas já de cara tratei de respirar fundo e deixar q fizesse os procedimentos necessários.
No parto da Anna, o anestesista era outro. E qdo ele aplicou a raqui, eu não senti NADA. Foi tão tranquilo q eu nem acreditei.
Dessa vez, assim q ele começou a enfiar aquela agulha em minhas costas, eu achei q morreria ali.
A dor começou local, nas costas, e começou a correr pelas coluna e subiu na hora pro pescoço. Uma pressão horrivel na nuca. Credo!
E doía e eu falava e ng fazia nada. Q desespero.
Ok.
A ráqui pegou.
Não sentia mais as pernas, mas sentia CLARAMENTE os dedos do pé.
Até os mexia. Q medo meu Deus. Avisei o anestesista q disse q era assim mesmo! Oi????????????????? Não senti isso da primeira vez.
Pelo amor de Deus, eu tava sentindo os dedos.
Bom, ele me disse q eu tava nervosa e pediu pra q eu esticasse as pernas. Não consegui, óbvio, foi o q me deu uma certa tranquilidade.
A cesárea começou e de repente, sei lá o q o anestesista aplicou no soro q começou a me dar enjoo. Achei q vomitaria o mundo ali. Do enjoo à tontura. Meu Deeeeeeeeeeeeeeeus, rodava tudo. Comecei a gritar (shame! rs) q tava passando mal, q tava tonta, mas fui ignorada.
Ele só me dizia q ia passar!
Assim q minha mãe entrou na sala pra assistir o parto, eu tava tão mal q assustei ela, tadinha. Não conseguia ficar de olhos abertos q rodava tudo.
Fora q eu tava amarrada. ALO? Pra q? Eu ia fugir como? Mais uma vez, no parto da Anna não me amarraram não!
Qdo o médico tirou o Bê e me levaram ele pra eu ver, eu tava passando tão mal q não consegui abrir os olhos pra vê-lo. Q merda isso!
Chorava de raiva!
Não de emoção, era raiva!
Meu bebê nasceu e eu se quer pude olhá-lo!
Só sei q depois q ele nasceu, minha mãe saiu da sala, o anestesista me aplicou no braço Dormonid. Calmante fortééééérrimo. Ele queria q eu dormisse, mas eu não queria dormir cacete. Implorei pra isso. Mas ele me deu esse sossega leão por conta dele e eu não dormi, mas fiquei gróg.
Não falava lé com cré e cheguei a perguntar à alguém o q eu tava fazendo lá!
Olha a situação!
Fiquei confusa por horas.
Mesmo sem o efeito da anestesia nas pernas mais, ainda tava confusa sem saber bem o q tava acontecendo e quem eram as pessoas.
Amamentei o Bê completamente “dopada”.
Uma merda!
Hj entendo mais ou menos o q significa violência no parto!
E olha q tudo feito em médico e hospital particular. Aliás, o mesmo q a Anna nasceu! Não sei o q aconteceu dessa vez.
As dores do pós parto perduram até hj, quase 1 semana depois.
Ainda sinto dores, ainda to a base de remédio.
Como assim né? Mas é!
Por isso, se me permitem uma diquinha: Se puderem, pra quem estiver grávida, optem pelo PN.
Sempre!

Segundo filho:
Ai gente, aí sim é diferente.
O amor, o zelo, essas coisas, isso são infinitamente iguais.
Mas o resto…
Bê é um bebê tranquilo.
Quase não chora, dorme melhor q a Anna dormia, onde eu o deixo ele fica.
Mas isso tb é por causa da tranquilidade q eu tenho.
A Anna chorava, eu corria pra pegar. Como ele nem dá pra fazer isso né.
As vezes ele começa a reclamar mas eu to com  a Anna no banho, ou no banheiro, ou sei lá. E ele fica lá reclamando, até q desiste…rs
A gente fica sim menos ansiosa, menos medrosa e menos cansada. Não sei como, mas fica. Acho q pq a gente sabe q aquela carga de exaustão é assim mesmo e isso um dia vai passar.

Ser mãe de dois está sendo mágico.
É uma delícia.
Eles se amam e se entendem pelo olhar, mesmo com tão pouco tempo!
Estou realizada.
Eles são minha vida!


Dei uma resumida pq o tempo ta bem escasso, mas espero ter tempo pra poder sempre atualizar aqui minha mais nova experiência com vcs.

Um beijo!




14 Comentários

  1. Adriana Bandeira says:

    Ahh, eu fiquei assim grogue no parto do Miguel, nem sei se aplicaram algo, mas estava na brisa também. e se te consola, senti essa dor maldita na anestesia, inclusive levei MUITAS PICADAS até o FDP achar o local correto.
    O que mais me consola é a parte onde a gente fica sozinha… se for mais fácil do que pensamos, eu fico mais tranquila então.

    Ah, em tempo, to amando as suas fotos!

    Bjs nos 3 (no quarto integrante, vc que dá)

  2. Dani Rabelo says:

    Menina, que horror…. olha, fiquei angustiada aqui por vc!!! Deus me livre!
    Como assim, ninguém te deu apoio, consolo, ninguém te perguntou ou tentou fazer algo para vc? Por vc?

    Credo….

    Mas vai passar. Vai sim.

    O que importa (e eu tenho certeza de que vc sabe disso) é que o Bê tá aí lindo e forte e gostoso… que essa duplinha é a cosamarlinda da vida e que faz vc virar o mundo, se preciso.

    Beijo sgrandes!!!

  3. Michely Avanti says:

    Comigo foi a mesma coisa Than!
    Sofri a dor da morte na cesarea….fiquei tão nervosa na hora do parto que tremia tremia de levantar da maca!
    E depois foi pior! horrível!
    tô tentando não pensar na segunda porque na do Pedro foi tão boa, tão light! no outro dia já estava andando e do Léo fiquei inválida pra tudo praticamente!
    Tô orando pra dessa vez ser diferente mas cesarea é uma merda e qto mais eu sei que é pior!!!!!Melhoras e logo logo vc já tá boa para curtir essa delícia que é ser mãe de dois!beijos

  4. Fernanda B. de Godoi says:

    Ahh, comigo também foi bem dolorida. Não se se era pq eu estava acima do peso, ou pq foi a pelidural ou se pq eu tive pré-eclampsia. Mas a verdade é que eu não conseguia andar. Eu fiquei 7 dias no hospital com ele, e esses 7 dias foram os piores. Em casa, como por milagre eu fiquei melhor, não boa, pq eu sentia MUITA dor nos pontos.
    Mas parabéns por esse bebe lindo :D
    Eu achei ele a CARA da Anna, deve ser uma delicia dupla ser mãe de dois :) Não vejo a hora de engravidar do meu segundinho. Beijos

  5. Carol Damasceno says:

    Os meus partos foram exatamente iguais, sem dor, sem desespero, sem nada. Mas no segundo eu tb passei mal e acabei dormindo até chegar no quarto, mas isso durou umas 2 horas no máximo… Não te disse que o segundo é bem mais fácil??? Amores parabéns!!!

    Beijocassssssssss

  6. Marta says:

    Than, espero que vc se recupere logo. Na gravidez do Miguel não senti nada (tirando as duas últimas semanas com compressão do ciático) e na cesárea foi ótimo. Não senti nada e não tomei nenhum remédio!!!
    Linda foto deles juntos! Uma benção!!!!!
    Beijosssss

  7. Mariana says:

    Than, espero que vc se recupere logo.
    Eu sempre tive muito medo de cesárea por conta dessas questões. por ser uma cirurgia grande e poder acontecer essas complicações mesmo. Nunca se sabe como o corpo vai reagir né…
    Me armei de tudo que podia pra conseguir um PN e foi mesmo a melhor coisa que eu fiz. Minha filha nasceu e eu já saí andando com ela no colo, ainda ligada no cordão, pra esperar a placenta sair. Ela nasceu as 11h40 e as 14h eu já estava recebendo as visitas maquiada e de cabeça lavada, depois de ter batido um pratão de macarrão com frango no quarto do hospital… rsrsrs
    Bjs e muito leite pra vc!!

  8. Marie says:

    Nossa q angustia, nenhuma mulher deveria passar por isso, tbm me deram um analgésico q quase caiu meu braço de dor, perguntei o q foi no dia seguinte e nem a Go sabia, ñ agüentava segurar meu bebê, foi o anestesista q receitou, era noite, dormí, veio o bebê mamar e sonolenta sem poder segurar, ele voltou e tomou glicose.
    Mas jurei q vc optaria pelo PN!
    Bom, no melhor foi sincera!
    Fica dica!
    Melhor q passou, faz parte do passado e com tudo se pode aprender.
    Mas diga…
    A equipe?
    Vc conhecia a equipe medica ou foi o Go quem escolheu?
    Pensei sempre no pq vc ñ ganhava peso?!?!?!
    Explicado, ñ podia ser normal só perder ao invés d ganhar peso.

  9. Priscila Paiva says:

    É com imenso carinho, que entramos em contato com você, para que
    possamos ser parceiros. Nos interessamos por seu blog e acreditamos
    que será uma parceria de sucesso e vantajosa, para ambas partes.
    Para que conheça um pouco de nossa história:

    A História da loja Ana Giovanna

    Em abril de 2011, há quase 3 anos atrás, lancei meu primeiro blog e
    loja virtual, roupinhasdebebe.org na Internet, através do qual foram
    atendidos mais de 4.500 clientes, do Brasil e do exterior, os quais
    deram-me a satisfação e a alegria de fazer parte da história de suas
    famílias, através de um dos vestidos infantis que confeccionamos.
    Unindo uma equipe de costureiras e modelistas profissionais, através
    do trabalho exclusivamente artesanal, realizado em nossos próprios
    lares, criamos nossas coleções de vestidos para crianças e estendemos
    para outras mães esta alegria que é vestir nossas filhas com vestidinhos
    infantis. Mas o começo de tudo foi a partir da chegada de Giovanna. Minha filha
    nasceu, e um sonho tornou-se realidade. Assim também nasceu Ana
    Giovanna Moda Feminina Infantil.

    Primamos pela excelência em qualidade, acabamento e beleza. Conheça
    nosso novo site: http://www.anagiovanna.com.br/ Aguardamos seu
    contato, caso haja interesse nesta parceria.
    O que desejamos é o banner na página principal e belas resenhas. Oferecemos um lindo vestido de início. Apenas precisa mandar o tamanho do modelo desejado e enviaremos dos modelos que temos disponíveis. Ah, mas não paramos por aí: Ao longo desta parceria teremos muito mais atividades. O que me diz?
    Um grande abraço e muito sucesso!

    Priscila M.
    Responsável Mídias e Parcerias
    parcerias@anagiovanna.com.br

  10. Priscila Paiva says:

    É com imenso carinho, que entramos em contato com você, para que
    possamos ser parceiros. Nos interessamos por seu blog e acreditamos
    que será uma parceria de sucesso e vantajosa, para ambas partes.
    Para que conheça um pouco de nossa história:

    A História da loja Ana Giovanna

    Em abril de 2011, há quase 3 anos atrás, lancei meu primeiro blog e
    loja virtual, roupinhasdebebe.org na Internet, através do qual foram
    atendidos mais de 4.500 clientes, do Brasil e do exterior, os quais
    deram-me a satisfação e a alegria de fazer parte da história de suas
    famílias, através de um dos vestidos infantis que confeccionamos.
    Unindo uma equipe de costureiras e modelistas profissionais, através
    do trabalho exclusivamente artesanal, realizado em nossos próprios
    lares, criamos nossas coleções de vestidos para crianças e estendemos
    para outras mães esta alegria que é vestir nossas filhas com vestidinhos
    infantis. Mas o começo de tudo foi a partir da chegada de Giovanna. Minha filha
    nasceu, e um sonho tornou-se realidade. Assim também nasceu Ana
    Giovanna Moda Feminina Infantil.

    Primamos pela excelência em qualidade, acabamento e beleza. Conheça
    nosso novo site: http://www.anagiovanna.com.br/ Aguardamos seu
    contato, caso haja interesse nesta parceria.
    O que desejamos é o banner na página principal e belas resenhas. Oferecemos um lindo vestido de início. Apenas precisa mandar o tamanho do modelo desejado e enviaremos dos modelos que temos disponíveis. Ah, mas não paramos por aí: Ao longo desta parceria teremos muito mais atividades. O que me diz?
    Um grande abraço e muito sucesso!

    Priscila M.
    Responsável Mídias e Parcerias
    parcerias@anagiovanna.com.br

Deixe uma resposta