Psicólogos descobriram que a ordem em que nascemos define a nossa personalidade. Incrível, porém verdade!

Psicólogos descobriram que a ordem em que nascemos define a nossa personalidade. Incrível, porém verdade!

 

Psicólogos descobriram que a ordem em que nascemos define a nossa personalidade. Incrível, porém verdade!

 

Se você tem irmãos ou irmãs, você provavelmente já se perguntou por que vocês são tão diferentes, ou por que seus pais tratam vocês de maneira diferente.

Bom, você já pode parar com os questionamentos, porque há de fato uma explicação. O psicólogo Kevin Leman tem investigado os efeitos da ordem do nascimento desde 1967 e publicou seus achados em seu livro Mais Velho, Do Meio Ou Caçula: a Ordem Do Nascimento Revela Quem Você É. O Dr. Leman está no grupo dos psicólogos que acreditam que a ordem na qual nascemos é um grande fator para determinar a nossa personalidade. É isso mesmo que você leu.

Ser o mais velho, o do meio, o mais novo ou filho único, aparentemente, tem um grande impacto em quem você se torna como pessoa. Isso tem muito a ver com a sua interação com os seus irmãos, assim como a forma que seus pais te tratam.

As crianças que nascem primeiro ganham pais inexperientes e por isso se tornam algo como um experimento. Cada passo no processo de criação basicamente se resume a “tentativa e erro”. Os primeiros filhos aproveitam a atenção total dos pais, mas seus pais também tendem a ser mais rigorosos com eles. Isso, a longo prazo, frequentemente faz com que o filho mais velho se torne perfeccionista.  

Mas quando o segundo filho chega, a atitude dos pais normalmente muda. Agora eles sabem o que funciona e o que não, e tendem a ser menos estritos. O segundo filho automaticamente recebe menos atenção porque seus pais têm que dividir seu tempo e energia por dois. Isso normalmente faz com que o segundo filho desenvolva comportamentos que agradam os outros para conseguir a aprovação deles. Eles também não estão tão interessados em perfeição como os irmãos mais velhos. 

Dado isso, nós podemos destacar os traços de personalidade a seguir, de acordo com a ordem de nascimento:

  • Primeiro filho: como “líderes da matilha”, os primeiros filhos são tidos como confiáveis, conscientes, estruturados, precavidos, controladores e focados em metas. No geral, eles se tornam um tipo de “mini-adulto”, já que a responsabilidade por muitas coisas frequentemente recai sobre eles e não nos seus irmãos menores. 
  • Filho do meio: não sendo nem o mais velho nem o mais novo faz o filho do meio se sentir meio que incompreendido dentro da unidade familiar. Por isso, ele luta para “deixar sua marca” e ser notado. Os filhos do meio se preocupam em agradar os outros e frequentemente fazem o papel de pacificadores. Eles tendem a ter um círculo social amplo, mas também podem ser um pouco rebeldes.
  • Último filho: o filho mais novo em uma família é normalmente o que tem espírito mais livre comparado a seus outros irmãos ou irmãs. A criança que nasceu por último não complica a vida, ama se divertir e é extrovertida, mas também manipuladora (ela sempre consegue o que quer). Ela também tende a ser egocêntrica e quer atenção.
  • Filho único: quando o casal tem apenas um filho, é dado a ele um lugar único e insubstituível na estrutura da família. Sendo assim, o filho único ganha a atenção completa de sua família por toda a sua vida, algo que falta quando se tem irmãos, mas que também se torna um grande fardo por conta das expectativas. Por isso, filhos únicos são normalmente mais maduros para sua idade, perfeccionistas, conscientes, diligentes e têm alma de líder. 

 

Deixe uma resposta