Ser mãe ~de dois~.

Ser mãe ~de dois~.

Ser mãe ~de dois~.

Ser mãe ~de dois~.

 

 

Penso muito nisso. As vezes são as pessoas q me perguntam.
Mães que querem ter um segundo filho, mas faltam-lhe a coragem, principalmente.
Como é ser mãe duplamente?

Sob o meu olhar:

Ter dois filhos, com idades distintas, é viver sob a cruz e a espada.
É viver o amor e a raiva em fração de segundos.
É saber q o mais velho é, sem sombra de dúvida, a inspiração pro menor. Seja nas qualidades, como nas artes.
Aliás, principalmente nos feitos errados. O menor vê uma única vez o q tá errado, se inspira e imita. Nem precisa de aulas práticas.
É viver na exaustão.
É ter q dobrar o turno. Pq geralmente qdo um chora, o outro tb.
É inevitavelmente se fazer onipresente. Sim, pq vc precisa aprender a estar em vários lugares ao mesmo tempo. Pq enquanto vc troca a fralda de um, o outro solicita vc e vc aprende a se virar em duas. E eu sempre digo q isso é dom de mãe. Nenhum ser nesse mundo é capaz disso.
É aprender, dia a dia, a lidar com a frustração do outro. Seja ele qual for.
Qdo o mais novo nasce, vc tem q aprender a lidar com a situação. Tem q fazer mágicas e dribles para que o mais velho não se sinta assim tão “excluído” e na GRANDE e esmagadora maioria, é em vão. Ele vai se frustrar com a sua ausência em algum momento e vc vai se culpar.
Culpa, culpa, culpa.
Mas não pára por aí. Qdo o mais novo cresce um pouco mais, ele tb aprende a sentir ciúme. E vc vive o ciúme bi lateral.
Daí toda a noite vc acha q está a beira de um ataque de nervos e enfim eles dormem, o dia acaba, vc deita e se sente a pessoa mais realizada e completa do universo.

Aliás, ser mãe de dois é estar em constante estado de graça.
Vc tem um universo todo de amor e carinho em suas mãos, ao seu alcance.
É tudo dobrado. As demonstrações de amor, de necessidade, de carinho, de cumplicidade.

Ser mãe de dois é aprender a separar brigas, a conter birras públicas dobradas, é aprender a acalentar dois filhos doentes ao mesmo tempo ou q por ironia do destino (só que não) caíram do sofá ao mesmo tempo. É ter a maturidade de entender q ali, ambos precisam do seu beijinho.

É dar comida pra dois no mesmo prato, ao mesmo tempo. É ficar com overdose de desenho animado. É virar motorista compulsiva num tal de leva e busca filho na escola. É estar sempre com a mente e com o coração preenchido.

É se estressar duplamente.

É banho duplo.

Escola dupla.

Agenda dupla.

Roupa pra lavar dupla.

É colo duplo.

Ser mãe de dois é aprender que um sempre vai perder.
Seja ele qual for. Sempre alguém nesse barco, sairá no prejuízo. E vc tem q aprender a entender isso sem culpas.
É equilibrar pratos em cima de varetas sem poder derrubar no chão.
Aquela tensão o tempo todo.
Qdo um ta rodando, o outro está perdendo velocidade e quase caindo. E vc corre pra socorrer um enquanto o outro está quase caindo. E isso é o dia todo. Constantemente.

É viver no limite do cansaço.

Mas acima de tudo, é ter o amor e sua reciprocidade, duplamente, diariamente!

 

Deixe uma resposta